NEWS!

Mulheres Gamers: Uma Realidade Bela E Difícil

Mulheres Gamers: Uma Realidade Bela E Difícil

Chegamos a um novo ano e sempre desejamos renovar a esperança de que coisas boas irão acontecer e que o ser humano será melhor para com os outros. Pois é, caros leitores… Infelizmente o ser humano já provou que não é bem assim e a cada novo ano muitas coisas ruins continuam na essência da sociedade. E não é diferente quando o assunto é a valorização das mulheres gamers.

Chegou o momento de nos unirmos e lutarmos contra o preconceito que ainda existe com as gamers!

Vamos valorizar as mulheres gamers!

Com a existência de grandes games multiplayers mais recentes, tais como Counter Strike, Dota 2, League of Legends e Overwatch, a conexão quase que constante entre as pessoas, incluindo os “gamers”, se tornou algo bastante comum. Mais do que isso, a entrada de muitas pessoas para este mercado foi imensa, incluindo muitas mulheres. Porém, a realidade que encontramos infelizmente não é algo digno e muito menos decente.

Com tantos assuntos que aparentemente já estavam sendo resolvidos pela sociedade, estamos vendo ainda discussões sobre ideologias políticas e racismo em todo o mundo. O pior de tudo isso é que não é nem um pouco diferente na comunidade gamer, apesar de existirem nichos tóxicos, ainda sim, a comunidade recebe com boa hospitalidade pessoas novas que entram no mundo dos games. Mas mesmo assim, o preconceito e o desrespeito para com as mulheres que entram ainda é forte, chegando ao ponto do ridículo. E ainda que diversos motivos já são conhecidos, não é feita nenhuma mudança significativa para parar com isso.

Por isso a ideia deste post é alertar que o preconceito ainda existe!

mulher gamer - Mulheres Gamers: Uma Realidade Bela E Difícil

As mulheres gamers devem ser respeitadas em qualquer situação deste universo que tanto gostamos!

Machismo e preconceito devem ser extintos…

Diversas histórias e relatos sobre machismo e preconceito com as mulheres parecem não ter fim, desde as mais comuns até mesmo às inaceitáveis. Das mais comuns, são as clássicas cantadas para as moças, que podem sim, ser do mais “cômico” ao mais tenso. São comuns as caixas de mensagens de garotas gamers receberem frases como “gata, passa seu WhatsApp” ou até mesmo cantadas mais ofensivas. No geral todas causam o mesmo efeito: o constrangimento. Todo mundo sabe que quem está jogando não deseja receber cantadas ou buscar alguém pra mandar mensagens ou coisas do tipo e sim, apenas jogar! Infelizmente, o constrangimento é apenas a “ponta do Iceberg” e deve ser remediado ou solucionado rapidamente, mas existem outros problemas que as garotas gamers sofrem nos games online: o assédio.

Na maioria dos casos, quando a garota resiste às cantadas e ainda não demonstra total constrangimento, geralmente, os rapazes mais depravados costumam assediar, a fim de tentar então alguma chance com a garota. Além do assédio, acompanha também a ofensa, a qual varia muito. Não é raro alguém ouvir ou ler comentários inapropriados e pesados que não vem ao caso descrever. Além das ofensas, existe preconceito ridículo e imaturo de que as mulheres jogam pior do que os homens.

A questão aqui já virou algo mais grave, ao ponto de muitas garotas já terem desistido de games online ou usam uma estratégia mais simples, porém inusitada: adotar nickname masculino e evitar ao máximo o uso de headset, apenas se conhecer a pessoa que está do outro lado, como namorado(a), familiares e amigos. Desse modo conseguem se prevenir e também se proteger da presença de pessoas desconhecidas.

Em pleno século XXI, ainda somos obrigados a ler ou ouvir coisas desse tipo!

mulheres esports - Mulheres Gamers: Uma Realidade Bela E Difícil

A mulher gamer já provou seu valor na área dos eSports!

Existem soluções para essa questão?

Claro que existem soluções! A primeira medida que muitas garotas acabam por adotar é parar de jogar, principalmente games online, criando uma aversão a esse tipo de game pelo medo de serem reprimidas e maltratadas durante as partidas. Em alguns casos, as garotas que optaram por essa alternativa relatam que as agressões e cantadas foram tão pesadas que evitam ao máximo de voltar a jogar pelo simples medo de passar novamente pela situação. Nestes casos, as garotas acabam optando por games casuais, do tipo offline, sem a necessidade de um grupo para se jogar. E isso infelizmente afeta tanto a comunidade gamer como os próprios games. Primeiro que, ao perder um cliente em potencial, o game acaba por ficar “largado” e mal visto diante da comunidade tóxica local, o que nos leva ao problema da comunidade gamer ser vista como um local hostil, tanto para mulheres como para qualquer gênero que incite preconceito com os mesmos.

E claro que dessa medida mais tensa, temos a mais fácil solução: mudar o nickname para algo masculino. Assim, a garota evita de ser descoberta, tornando sua jogatina um pouco melhor. As moças que relataram fazer isso conseguiram, então, superar o medo das ofensas e até mesmo quando jogam, evitam ao máximo de dar informações que são mulheres, para poder manter o “disfarce” e continuar sem serem ofendidas.

Agora, a mais fácil e mais segura do meu ponto de vista é a moça jogar em equipes com pessoas conhecidas (na maioria, amigos). Desse modo, as chances de encontrar algum desconhecido que a ofenda torna-se bem baixa e mesmo que ocorra tal situação, tanto a moça quanto seus amigos possuem mais chances de rebater às críticas (dependendo do caso, reportar) e manter a comunidade um pouco mais justa!

Para este problemão que persiste… existem sim, soluções práticas e que beneficiem todos!

mulheres producao games - Mulheres Gamers: Uma Realidade Bela E Difícil

E também na produção e desenvolvimento de games!

Então, vamos ajudar a mudar este cenário?

Hoje em dia, temos o privilégio de viver em uma época onde informações e opiniões podem ser trocadas e compartilhadas em instantes, além de formar comunidades digitais nas redes sociais para interagir com estas informações. E existem várias comunidades, fóruns, grupos e blogs que abraçam a causa de um mundo gamer mais justo, principalmente para as mulheres, e onde elas possam enfim, jogar em paz sem ler e/ou ouvir ofensas e ficarem constrangidas. Vamos abraçar juntos esta causa?

E a questão vai além disso, pois não é só pelas moças, mas para muitos rapazes se sentirem na necessidade de auxiliar o lado masculino e mostrar que nem todos os homens são de fazer cantadas e/ou ofensas. Todos nós podemos atuar para um mundo gamer mais justo, tanto para as mulheres quanto para os homens!

Afinal, no mundo dos games o que importa é jogar, se unir e se divertir!

_________________________________________________

Se você gostou deste post, não deixe de participar através de sugestões, críticas e/ou dúvidas. Aproveitem para assinar o Blog, curtir a Página no Facebook, interagir no Grupo do Facebook, além de acompanhar publicações e ficar por dentro do Projeto Universo NERD, de sorteios, concursos e demais promoções.

< x >

Tags:
Reinaldo Vargas

É Idealizador e Autor do UniversoNERD.Net. Gamer desde o Atari 2600, Streamer, Blogueiro e Professor Universitário de profissão e paixão. Sempre informado sobre games, tecnologia, ciência e ensino. Um Xbox Gamer, Insider e Preview, adora a Bethesda e a Rock Star e ama produzir conteúdo. Gamertag: reavargas