NEWS!

Darksiders III, Ação E Aventura Repleta de Fúria!

Darksiders III, Ação E Aventura Repleta de Fúria!

O novo game Darksiders III, da THQ Nordic, possui combinações elegantes e cheias de efeitos, mas sua fragilidade e os duros desafios que os inimigos apresentam desencorajam ativamente você a se aproximar do combate, em vez de favorecer uma abordagem mais metódica, com ênfase no tato e na evasão. A série Darksiders sempre usou suas inspirações, mas pelo menos havia uma sensação de foco e design consistente onipresente em todas as suas partes móveis. Esses dois primeiros games podem ter sido derivados, mas adotaram conceitos e construíram de maneira divertida e envolvente, o que elevou seus pontos fortes. Darksiders 3 é a antítese dessa abordagem, sendo um pouco confuso, mas sendo um ótimo game.

Depois que tanto a Guerra quanto a Morte se divertiram com os antecessores de Darksiders III, agora é a vez da “Fúria” perpetuamente irada, enquanto você toma as rédeas do terceiro cavaleiro do apocalipse. Fury usa um chicote de lâminas conhecido como “Barbs of Scorn”, que oferece um alcance decente, uma vez que você está próximo de uma entidade demoníaca. Ao longo da história, você adquirirá “Hollows”, que garantem armas secundárias únicas e abrem suas opções de travessia com diferentes efeitos. Os combos são fáceis de executar, com um botão dedicado aos ataques primários e outro para os secundários.

De fato, Darksiders III parece um game repleto de ação com combos extravagantes, mas tais golpes chamativos só são realmente viáveis ​​contra inimigos mais fracos durante a história.

Sobre Darksiders III, informações e relação com Dark Souls

Darksiders III inspirou-se de fato em Dark Souls, então a baixa capacidade de sobrevivência de Fury obriga você a abordar o combate de uma forma que desmente seus combos exuberantes. Os inimigos são rápidos, devem ser atingidos com força e são regularmente encontrados em grupos. Sem falar de um medidor de resistência, há uma ênfase em evitar o perigo que se desvia do uso rigoroso de gerenciamento de energia. Cada esquivar perfeitamente cronometrado é recompensado com um slow-motion e a chance de contra-atacar com um poderoso ataque arcano, onde a maioria dos confrontos são construídos em torno da capacidade da Fúria para esquivar fora do caminho de golpes de espada de entrada e garras vorazes. Há uma boa variedade de tipos de inimigos também, onde ler seus padrões de ataque e saber quando fugir é fundamental para derrotar quase todos os inimigos que você não pode simplesmente banir com um único combo.

Tudo isso soa bem em teoria e não há nada de errado com uma abordagem mais ponderada de combate. Mas Darksiders III nunca se inclina para este método com bastante força e vestígios fora de lugar de seu contraponto chamam regularmente frustração, pois parece dividir-se entre querer a todo momento ser dois tipos diferentes de game, parte “siders” e parte “souls“, mas ambos com dificuldade nada fácil.

Você pode fazer malabarismos e várias seqüências de movimentos mortais, mas muitas vezes você será forçado a se contentar com combos seguros, porque qualquer outra coisa o deixará vulnerável a um ataque devastador. Isso permaneceu relativamente inalterado em relação ao Darksiders 2, optando por um sistema de direcionamento 3D similar ao usado até em The Legend of Zelda: Ocarina of Time, pois isso foi claramente projetado com batalhas one-on-one em mente e certamente não se encaixa em um game tão desafiador como este. Embora existam, sem dúvida, alguns inimigos durões, a dificuldade real é enfrentar mais de um inimigo de cada vez. A câmera tem a tendência de bloquear sua visão com paredes e objetos próximos, o que é exacerbado apenas pelos ambientes claustrofóbicos que dominam a maior parte dos ambientes de jogo. Há ainda um indicador de ataques, mas é difícil discernir no meio da ação, e não existem avisos.

É frustrante morrer sem poder ver de onde veio o golpe, ou porque mudar de alvos é bastante complicado. Tudo isso são aborrecimentos inevitáveis! 

Darksiders III Figura1 - Darksiders III, Ação E Aventura Repleta de Fúria!

Darksiders III também elimina muitos dos elementos de RPG do seu antecessor e matar inimigos recompensa-o com almas que também podem ser encontradas em todo o mundo do game. Cada vez que você alcançar um posto de controle, poderá trocá-lo por um comerciante demoníaco para subir de nível em três atributos: saúde, força e arcano. É um sistema de progressão simplista e enquanto você pode perder almas morrendo e então recuperá-las novamente, nunca há qualquer tensão decorrente da ameaça de perecer e perdê-las porque você pode depositar almas mesmo que não tenha o suficiente para subir de nível.

As armas podem ser atualizadas para aumentar sua produção de dano, e aprimoramentos aumentarão seu arsenal com buffs que podem dar até 4% de vida de volta para cada sucesso ou adicionar mais quadros de invencibilidade à sua esquiva. O combate nunca evolui porque tudo o que você está fazendo está aumentando sua produção de dano. Não demora muito para que a repetição predomine.

Este é um problema quando o combate é abrangente, pois existem quebra-cabeças espalhados por toda parte, mas são poucos e distantes entre si e geralmente giram em torno de uma grande criatura para que você possa usar sua cabeça para alcançar plataformas mais altas, mover blocos e usar insetos explosivos para acessar diferentes áreas. Nada disso é particularmente interessante e vale para as raras instâncias de plataformas.

O deserto apocalíptico não é tão interessante para atravessar, pois o mundo interconectado é composto de prédios de escritórios, ambientes encardidos e áreas industriais inundadas. Cada uma dessas localidades é envolvida em cores suaves, dominadas por bege e cinza, com apenas algumas áreas se desviando desse tipo de design. Sua busca pode girar em torno de rastrear e matar “The Seven Deadly Sins”, mas os ambientes em que você está raramente refletem suas diversas personalidades, o que parece uma oportunidade desperdiçada.

Existe um grande inseto, então faz sentido encontrar ovos em cascata ao redor das paredes de seu covil e enfrentar aracnídeos e outras criaturas. Ainda assim, uma criatura vulgar parecida com uma planta, também reside em um ambiente repleto de ovos e insetos.

Darksiders III Figura2Final - Darksiders III, Ação E Aventura Repleta de Fúria!

A verticalidade desempenha um papel predominante, além de você estar confinado a corredores úmidos e cavernas. É uma pena, porque enquanto o rico estilo de arte em quadrinhos de Joe Madureira ainda se reflete nos excelentes designs de personagens, o pano de fundo para esses seres maiores é esse mundo genérico e insípido. Além disso, Darksiders III ainda contém constantes problemas de framerate.

Por fim, há outros elementos que vale a pena mencionar, como a forma como o comprimento do game é preenchido pela exclusão de um mapa e que torna a viagem rápida sem valor, pois você nunca sabe exatamente para onde está indo, ou a maneira contraintuitiva de deixar um inimigo matá-lo é a melhor opção quando se trata de reabastecer seus itens de cura. Darksiders III é um bom game, mas retrograda em seus antecessores com uma abordagem sem foco que constantemente colide com si mesmo.

Para terminarmos, que tal acompanhar a seguir um dos trailers de lançamento!

x

O game Darksiders III já está disponível para Xbox One, PlayStation 4 e PC (Steam).

________________________________________________________________________

Se você gostou deste artigo, não deixe de participar através de sugestões, críticas e/ou dúvidas. Aproveitem para assinar o Blog, curtir a Página no Facebook, interagir no Grupo do Facebook, além de acompanhar publicações e ficar por dentro do Projeto Universo NERD, de sorteios, concursos e demais promoções.

< x >

Tags:
Reinaldo Vargas

Professor, Colunista do Arena Xbox e XPGG, Idealizador do http://UniversoNERD.Net e Streamer do #TeamSparkers na MIXER. Curte Games, Tech e Ciência.. Um Xbox Gamer, Insider e Preview, adora a Bethesda e a Rock Star e ama produzir conteúdo. Gamertag: reavargas

Postar um comentário