NEWS!

Oddworld: Soulstorm, Uma Experiência Divertida, Mas Que Peca Com Algumas Falhas Técnicas

Oddworld: Soulstorm, Uma Experiência Divertida, Mas Que Peca Com Algumas Falhas Técnicas

O game Oddworld: Soulstorm demorou bastante para chegar e é uma releitura do segundo Oddworld, Abe’s Exoddus. O novo game parece brilhante e novo no PlayStation 5, com personagens lindamente detalhados e vastas paisagens arrebatadoras em seus fundos. De fato, é diferente de qualquer game que eu joguei nos últimos anos, e isso é revigorante e divertido, mas a jogabilidade no estilo antigo retém algumas opções de design arcaico que parecem desatualizadas. O game possui alguns problemas técnicos que podem “explodir” até mesmo as sequências mais cuidadosamente reproduzidas ao longo da sua jornada.

Como seus antecessores, Soulstorm coloca você no controle de Abe, um escravo que está livre e possui a habilidade de assumir o controle de diversos personagens usando um canto especial. Cada nível junta um leque de quebra-cabeças furtivos. Como Abe, você vai se esgueirar por cada estágio, saltando por plataformas para se esquivar de armadilhas e, ao mesmo tempo, evitar o conflito o máximo possível. O tempo todo, você está procurando por seus companheiros Mudokons, a espécie de Oddworlders verdes esguios de Abe, a maioria dos quais ainda são escravos em fábricas e minas. Neste ambiente inóspito, ficar fora do caminho do perigo requer planejamento e tempo cuidadosos, e como muitos jogos furtivos, você monitora cuidadosamente os movimentos dos guardas e cones de visão para encontrar o momento perfeito para se mover de um esconderijo para o outro, ou para despachar um inimigo. E é tenso!

Oddworld: Soulstorm passa uma sensação de tensão com muito coração, mas sua fraca afinação o torna um pouco trabalhoso!

Oddworld Soulstorm Imagem Inicial - Oddworld: Soulstorm, Uma Experiência Divertida, Mas Que Peca Com Algumas Falhas Técnicas

Um pouco sobre Oddworld: Soulstorm

O game possui um bom número de sequências de plataforma pura, onde esquivar-se de lança-chamas, serras redondas, espinhos e outros perigos também costuma ser uma questão de acertar no tempo certo. As melhores sequências de plataforma do Soulstorm parecem mais um quebra-cabeça do que um teste de reflexo, equilibrando a pressão do fator tempo e a necessidade de sentir metodicamente o seu caminho através de quaisquer obstáculos letais que apareçam ao longo da sua jornada com Abe.

Em qualquer uma das situações, a paciência é uma virtude. Embora correr e pular sejam responsivos, a maioria das outras ações leva tempo. Esconder-se em um armário ou sair de um leva um pouco mais de um segundo. Se você não derrubar um guarda, eles vão atirar e matá-lo antes que você possa mirar e atirar uma pedra. As janelas para se mover e ficar fora de vista são bem pequenas, então você precisa saber como cada inimigo na área se move e como eles reagirão a qualquer coisa que você planeje fazer. Se você tiver alguma dúvida, esperar e ver é a melhor opção. E isso significa que você progredirá bem devagar!

Nosso personagem Abe não é um lutador, mas possui algumas ferramentas à sua disposição. Além disso, ele pode encontrar e fabricar armas improvisadas, como bolas de borracha, telas de fumaça e refrigerantes explosivos, que ajuda a evitar a detecção ou deixar os guardas inconscientes. Abe também possui a habilidade de controlar certos inimigos com o canto mencionado anteriormente, permitindo que você use guardas para abrir portas e lutar contra inimigos. Embora haja muitas opções para lidar com qualquer situação, todas essas ferramentas são bastante diretas e óbvias em sua aplicação. Se parece que você precisa fazer uma cortina de fumaça para bloquear a visão de um guarda patrulheiro, então essa é provavelmente a melhor coisa a se fazer.

O tipo de furtividade em Soulstorm mede mais o seu tempo do que a sua criatividade.

Oddworld Soulstorm imagem 1 - Oddworld: Soulstorm, Uma Experiência Divertida, Mas Que Peca Com Algumas Falhas Técnicas
Oddworld Soulstorm imagem 2 - Oddworld: Soulstorm, Uma Experiência Divertida, Mas Que Peca Com Algumas Falhas Técnicas

Uma coisa interessante é liderar um grupo de Mudokons, pois depois de recrutá-los, os mesmos seguirão Abe de perto, a menos que você diga a eles para ficarem quietos. Embora estejam muito próximos, um grupo de retardatários torna seus movimentos mais fáceis de detectar. E embora eles possam se defender tecnicamente se você lhes der ferramentas, morrerão rapidamente se forem vistos e também pisarão direto em uma mina terrestre, mesmo se você pular sobre ela. Com isso, mover-se com aliados a reboque exige que você tome o passo mais lento e constante e dê um amplo espaço para cada obstáculo. Pode ser um jogo interessante e mais estratégico, mas “machuca” quando alguém é esmagado por um pistão porque não deu aquele passo a mais para se esquivar de um pêndulo gigante.

Não importa o quão lento você avance, pois a IA do personagem para seus inimigos e aliados Mudokon é relativamente imprevisível. Em alguns casos, é puramente uma falha: quando seu status de alerta cai de “Médio” para “Calmo”, pois os guardas nem sempre voltam aos seus padrões pacíficos, tornando impossível passar sem envolvê-los. Em outros casos, a IA simplesmente reage mal, como quando você entra em um armário, seus seguidores Mudokon devem encontrar outros armários e se esconder, mas eu perdi muitos seguidores porque eles ficaram parados ao invés de entrar em um armário vazio. Além disso, com um sistema de checkpoint antiquado e nenhuma opção para um salvamento rápido manual, um erro de IA pode fazer com que você volte ao início de uma sequência muito longa e lenta que se torna menos interessante.

Existem outros bugs impactantes, como inimigos que podem ver além de seus cones de visão, perder o controle dos inimigos e encontrar alguns personagens flutuando no ar em vez de estarem no solo. Como acontece com todos os games da era moderna, é possível que esses problemas sejam corrigidos em atualizações futuras, mas até que isso aconteça, é um game que oferece pouco espaço para erros e está com problemas técnicos que obrigam você a tentar novamente. Você pode também ficar preso em uma situação ruim se, digamos, passar por um checkpoint quando um inimigo estiver prestes a encontrar seus amigos Mudokon escondidos. Também pode forçá-lo a repetir tarefas mundanas, como pegar itens.

Os problemas fazem com que as sequências difíceis demorem mais e tornam as reinicializações induzidas por erros mais frustrantes. Oddworld: New ‘n’ Tasty, de sete anos atrás, tinha um recurso de salvamento rápido, então isso parece um descuido.

Oddworld Soulstorm imagem 4 - Oddworld: Soulstorm, Uma Experiência Divertida, Mas Que Peca Com Algumas Falhas Técnicas
Oddworld Soulstorm imagem 3 - Oddworld: Soulstorm, Uma Experiência Divertida, Mas Que Peca Com Algumas Falhas Técnicas

O cenário e a história de Oddworld: Soulstorm são charmosos, onde tudo começa no final de Oddworld: New ‘n’ Tasty, traznedo de volta a Abe e seu rebanho de revolucionários Mudokons, que agora estão livres e fugindo de seus antigos mestres, os Glukkons. Ao viajar e conhecer mais Mudokons fugitivos, Abe descobre que sua posição simbólica como o primeiro Mudokon a se livrar das algemas com sucesso exigirá que ele assuma um papel de liderança. O visual estabelecido, mas ainda único, dos personagens de Oddworld torna o mundo e sua história cativantes. Para os fãs de longa data, ver aquele mundo reinventado com gráficos de nível PS5 pode valer o preço do ingresso, apesar das deficiências técnicas do game.

Mesmo que você ainda não tenha uma afeição por Oddworld, Soulstorm parece ótimo e os níveis apresentam o que o desenvolvedor Oddworld Inhabilities chama de estilo visual “2.9D”: arte 3D em um plano 2D, que gira e muda para fazer os níveis parecerem menos lineares. No fundo, muitas vezes você pode ver um nível inteiro estendido ao longe, junto com faces de montanhas rochosas, edifícios enormes e máquinas de fábrica, que criam um incrível senso de escala. Abe, por mais importante que seja, é apenas um peixe pequeno em comparação com a vasta paisagem industrial de Oddworld. Embora o plano de fundo muitas vezes seja apenas um cenário, há alguns casos em que os elementos do plano de fundo vêm à tona e, embora isso não seja um novo truque, a animação suave de um trem vindo em sua direção continua impressionante.

Existe também um punhado de sequências predefinidas espalhadas ao longo da aventura, a maioria das quais com problemas técnicos exclusivos e/ou falhas de design. No terceiro nível do game, por exemplo, chuvas de morteiros caem, criando explosões aleatórias conforme você avança. As explosões são apenas semi-aleatórias, no entanto: se você ficar parado por mais de alguns segundos, o que não é improvável em um game furtivo, as explosões irão atingir você. Não há nenhum retículo ou indicador de que você deva se preocupar com as explosões que o seguem, e há muito poucos lugares para se esconder. Uma série de sequências em que você deve defender um grande número de Mudokon em fuga dispensa totalmente a furtividade, empurrando-o para derrotar os guardas o mais rápido possível.

Em ambos os casos, os movimentos de Abe são aprimorados para furtividade e plataformas, onde o game nunca vai bem quando se desvia dessas duas competências essenciais.

Por fim, essas ideias centrais, furtivas e plataformas com quebra-cabeças, funcionam bem no Soulstorm, mas apenas algumas vezes. Embora lento em relação aos jogos furtivos modernos, há algo satisfatório em sua abordagem semelhante a um quebra-cabeça. Infelizmente, é difícil ver o lado bom dos problemas com a IA, pontos de verificação frustrantes e problemas técnicos. Oddworld: Soulstorm é um mundo interessante e espero que possamos ver o resto da saga de Abe, mas a série precisa de mais do que um visual repaginado para dar nova vida à série. Vamos aguardar e torcer para que isso aconteça.

Oddworld: Soulstorm está disponível para PlayStation 4, PlayStation 5 e PC através da Epic Games Store. Para os donos do PS5, o game foi disponibilizado na PlayStation Plus de Abril.

______________________________________________________________________________

Se você gostou, não deixe de participar através de sugestões, críticas e/ou dúvidas. Aproveitem para assinar o Blog, curtir a Página no Facebook, interagir no Grupo do Facebook, além de acompanhar publicações e ficar por dentro do Projeto Universo NERD, de sorteios, concursos e demais promoções.

Tags:
Reinaldo Vargas

Professor, Streamer, Parceiro do Facebook Gaming e ArenaXbox.com.br, Idealizador do UniversoNERD.Net, integrante do Podcast GameMania e Xbox Ambassador. Jogador de PlayStation e Xbox!

Postar um comentário