NEWS!

Spoiler Ao Molho Contexto: Idiocracia – Já Vivemos Uma!

Spoiler Ao Molho Contexto: Idiocracia – Já Vivemos Uma!

Saudações, nobre nerds. Já faz um bom tempo desde o último Spoiler, né? Esse, que vos apresento hoje, já o tinha engatilhado desde o início do ano letivo. Porém, com receio de ser mal compreendido, resolvi segurá-lo a fim de esperar uma situação oportuna. Com o incêndio e consequente destruição do Museu Nacional, bem como a repercussão que isso teve, concluí ser a deixa ideal para publicá-lo.

Antes das minhas reflexões, dê só uma olhada em alguns dos comentários acerca do ocorrido:

burrice 1024x777 - Spoiler Ao Molho Contexto: Idiocracia - Já Vivemos Uma!

Triste? Revoltante? Odioso? Diria eu, compreensível! Meus notórios nerds, é perfeitamente visível que a população do nosso país já se encontra em um estágio avançado de emburrecimento. Minha apreensão em escrever esse texto era o de ser taxado de arrogante e de querer nos colocar numa posição superior aos outros, já que estamos aqui por termos gostos similares como leitura, games, RPG, filmes, séries, educação e outros assuntos culturais que, infelizmente, são pertinentes à uma parcela pequena dos brasileiros.

Porém, minha intenção não é essa, mas sim, de comparar o quanto a maioria do país é vidrada em algo que envolva temas como violência, sexo, futebol, culto às celebridades, fofoca e demais coisas provenientes do senso comum, onde a leitura (principalmente a científica), conhecimento histórico e o respeito às ideologias opostas (políticas, sociais, religiosas e econômicas), estão longe de construírem o raciocínio de seus adeptos, tal qual ocorre em “Idiocracia“, um filme de comédia lançado em 2006.

capa do filme - Spoiler Ao Molho Contexto: Idiocracia - Já Vivemos Uma!

A história do filme começa no ano de 2005 com Collins, um oficial do exército americano, apresentando um projeto de hibernação em humanos aos seus superiores militares.

O projeto consistia em manter um homem e uma mulher dentro de cápsulas lacradas pelo período de um ano. Dentro delas, não sofreriam nenhuma ação do tempo. O homem escolhido foi Joe Bauers (personagem principal), um sargento do exército cujos testes comprovaram ser a pessoa mais medíocre da instituição. Como não acharam nenhuma mulher mediana que fosse militar (talvez uma alfinetada aos machistas de plantão), Collins contratou Rita, uma prostituta, para que participasse do experimento.

figura3 - Spoiler Ao Molho Contexto: Idiocracia - Já Vivemos Uma!

Rita e Joe são sedados com drogas potentes, colocados em cápsulas e postos para hibernarem. Porém, Collins, que passou a se envolver com prostituição após ter conhecido o cafetão de Rita, acabou sendo preso. Assim, o experimento, que era secreto, ficou esquecido e confinado num local isolado.

Séculos se passaram. Isso mesmo que acaba de ler! Exatos cinco séculos. O mundo, devido à falta de leitura, cultura e interesse por coisas sérias (notou alguma coincidência?) emburreceu de tal forma que nem mais do lixo conseguiam cuidar. Montanhas de lixos se acumularam pelas cidades, provocando, em 2505, uma grande avalanche. Nesse desastre, a cápsula em que Joe estava foi parar dentro da casa de Frito Pendejo.

joe acorda 1024x576 - Spoiler Ao Molho Contexto: Idiocracia - Já Vivemos Uma!

Muito confuso e atordoado ao despertar, Joe acaba por irritar Frito que assistia seu programa favorito, chamado Ai! Meu Saco!, cujo protagonista aparece em várias paisagens e países do mundo recebendo chutes, boladas e até mordidas de cachorro no… Bem… Tenho certeza de que conseguem imaginar onde. Nervoso e muito agressivo, Frito joga Joe pela janela. O ex-militar fica vagando na rua por horas, sem entender direito o que está acontecendo. O idioma tinha se deteriorado tanto que as pessoas falavam de modo gutural.

Quando Joe tentava conversar, sua voz era tida como afeminada. E como gays não eram muito bem tratados em 2505 (atualmente, são super respeitados, né?!), ele tinha que correr para que não fosse linchado.

Ele acaba por achar um hospital e consegue atendimento. É hilário (e nojento) como as pessoas são tratadas nesse futuro. Quando chegou na hora de pagar, Joe não possuía a tal tatoo, uma identificação feita a base de um código de barras tatuado no pulso. Assim, ele acabou preso. No julgamento, acabou descobrindo que a justiça não tinha se tornado apenas cega… Agora, também era retardada! Para piorar a situação, seu advogado designado era o Frito, que nada fez para defendê-lo.

figura5 - Spoiler Ao Molho Contexto: Idiocracia - Já Vivemos Uma!

Antes de ir para a cadeia, Joe foi fazer sua identificação e receber a tatoo. Como se atrapalhou todo frente à máquina que realizava o processo, acabou sendo nomeado de “Não Sei”. Participou de um teste de QI. Além de ter que encaixar figuras geométricas em lugares extremamente óbvios, a pergunta principal do teste era:

Se tiver um balde com capacidade para 6 litros e outro para 15 litros, quantos baldes você tem?

Bem difícil, né!? Mas Joe, quer dizer, “Não Sei”, acertou. Já na cadeia, bastou uma mentira singela para que os guardas se confundissem e o deixassem escapar, tendo em vista que a porta do presídio estava aberta. O protagonista volta à casa de Frito e exige sua ajuda. Por ter se passado 500 anos, Joe acreditava que já haviam criado uma máquina do tempo e queria que o advogado o levasse até ela. Frito disse que realmente havia uma e concordou em levá-lo após ter entendido (mais ou menos) que Joe, de volta a 2005, abriria uma poupança para ele, que, 500 anos depois, valeria bilhões de dólares. No caminho, encontram Rita, que estava usando sua inteligência “superior” para extorquir dinheiro dos cidadãos interessados em seu serviço.

E então, partem em busca da tal máquina do tempo.

juntos 1024x576 - Spoiler Ao Molho Contexto: Idiocracia - Já Vivemos Uma!

Após alguns contratempos, chegam à cidade de Costco, de onde pegariam um transporte coletivo para chegar até a bendita máquina do tempo. Numa área de comércio, um scanner automático fez a leitura da tatoo de Joe e acionou a polícia, já que ele estava foragido. Rita e Frito conseguiram escapar, mas nosso personagem principal foi detido novamente. Todavia, em vez de ser levado à cadeia, Joe foi levado até a Casa Branca, tendo em vista que seu teste de QI chamou a atenção do presidente americano. Em troca do perdão presidencial, Não Sei assumiria o posto de ministro e deveria acabar com os problemas do país, em especial, o da fome, já que nenhuma planta nascia em solo americano há muito tempo. E adivinhem só quem era o presidente dos Estados Unidos?! As imagens abaixo mostram sua entrada triunfal na cerimônia de nomeação de Joe.

figura7 - Spoiler Ao Molho Contexto: Idiocracia - Já Vivemos Uma!

Com a intenção de ir até a máquina do tempo e fugir, Joe exigiu que, para resolver o problema, precisaria da ajuda de Frito e de Rita. Com o trio novamente unido, nosso herói tentava encontrar uma forma de chegar até a máquina do tempo, mas achava que seria quase impossível, já que os militares do Serviço Secreto estavam sempre por perto. Então, decidiu tentar sanar o problema da agricultura quando percebeu o porquê das plantas não nascerem: eram regadas por um líquido isotônico da maior empresa do país, denominada Brawndo.

Na verdade, até das torneiras saiam essa bebida!

E a água passou a ser usada, exclusivamente, nos vasos sanitários. Pois é! Pode acreditar!

brawndo 1024x576 - Spoiler Ao Molho Contexto: Idiocracia - Já Vivemos Uma!

Os sais minerais contidas no isotônico acumularam-se na terra, tornando-a seca, causando tempestades de poeira e não deixando que nada nascesse. Joe mandou que trocassem o líquido da irrigação por água. Foi difícil convencer o povo, mas acataram suas ordens. Entretanto, as ações da Brawndo caíram drasticamente, provocando uma crise na economia do país e o aumento do desemprego. Mais uma vez, o protagonista é preso e sentenciado a uma noite de reabilitação, onde, se terminasse vivo ao vencer uma batalha de carros, ganharia o perdão presidencial. Na prisão, recebe a visita da Rita. Pede que ela vá até a máquina do tempo, retorne à sua era e transmita a seguinte mensagem, que é a grande reflexão trazida pelo filme:

Diga às pessoas para lerem. Para estudarem, sabe? Para usarem o cérebro ou algo assim. Acho que o mundo ficou assim por causa de gente como eu. Nunca fiz nada na vida…

Joe sabia que dificilmente sobreviveria à reabilitação, que era transmitida por meio de um programa em rede aberta de televisão. As chances de “Não Sei” ficaram ainda menores quando ele recebeu seu carro e viu contra quais veículos teria que vencer. Veja a imagem abaixo. O carro do Joe é o menor de todos.

É esse mesmo! Esse aí que tem uma enorme rocha no porta-malas…

reabilitação 1024x576 - Spoiler Ao Molho Contexto: Idiocracia - Já Vivemos Uma!

Rita, que se preparava para ir até a máquina do tempo, ao olhar pela janela, viu que flores estavam florescendo no jardim da Casa Branca. Rapidamente, fez com que Frito a levasse até o local da noite de reabilitação para falar com o presidente Camacho. Porém, o governante não lhe deu atenção porque queria provas daquilo que ela alegava. Então, a ex-meretriz subornou um cinegrafista e, com mais uma carona de Frito, foi até às plantações para filmar e transmitir as imagens para todo o estádio onde ocorria o evento. No momento em que Joe estava para ser morto, Rita conseguiu concluir seu plano.

reabilitado 1024x285 - Spoiler Ao Molho Contexto: Idiocracia - Já Vivemos Uma!

Dessa forma, “Não Sei” recebeu o perdão presidencial. Para dar continuidade ao programa de governo que visava acabar com os outros problemas do país, acabou sendo nomeado vice-presidente. O filme termina contando que o restante da administração do presidente Camacho foi excelente graças ao nosso protagonista. Satisfeito em ajudar, Joe decidiu permanecer no futuro, ainda mais quando descobriu que a tal máquina do tempo não passava de um brinquedo de um parque de diversões.

Por fim, foi eleito presidente do país, casou-se com Rita e passou a adotar medidas que promovessem a cultura, os estudos e a prática de leitura ao povo.

joe presidente 1024x576 - Spoiler Ao Molho Contexto: Idiocracia - Já Vivemos Uma!

Legal, não é mesmo, meus caros nerds? Apesar de não ser nem um pouco otimista quanto às semelhanças entre nossa atual sociedade e essa exibida pelo filme, espero que tenhamos um final tão feliz quanto.

A vocês, deixo o conselho de nunca se renderem frente às limitações intelectuais de nosso tempo. Nunca se igualem por baixo. Continuem crescendo, estudando, aprendendo, conhecendo…

Por mais que o filme traga um certo exagero, nosso futuro tende a ser esse mesmo, infelizmente. Seja você o fator que impedirá que isso aconteça, ou mesmo, que contribuirá para adiá-lo.

Abraço e até breve.

_________________________________________________________________________

Se você gostou deste artigo, não deixe de participar através de sugestões, críticas e/ou dúvidas. Aproveitem para assinar o Blog, curtir a Página no Facebook, interagir no Grupo do Facebook, além de acompanhar publicações e ficar por dentro do Projeto Universo NERD, de sorteios, concursos e demais promoções.

< x >

Tags:
Lukas Melo

É Editor e Autor do UniversoNERD.Net. Profissional da área de EaD, aficionado por RPG, hardware e cinema. Porém, não nega outras nerdices.