NEWS!

Inteligências Múltiplas E Os Games – Parte I

Inteligências Múltiplas E Os Games – Parte I

Olá, queridos leitores

Hoje quero abordar um tema com vocês que, desde os tempos mais remotos até os dias atuais, tem sido muito debatido:  Inteligência. Neste post, pude contar com a participação do Autor Colaborador Allan do Vale, que estabeleceu uma relação entre algumas inteligências abordadas e alguns jogos de videogame.

O post será divido em duas partes e espero, de verdade, que vocês gostem!

Vamos começar?

Na década de 1980, uma equipe de pesquisadores de Harvard, lideradas pelo psicólogo Howard Gardner, desenvolveu uma teoria sobre Inteligências Múltiplas, que é uma tentativa de descrever melhor o conceito de inteligência. Porém, vamos deixar algo bem claro: segundo Gardner, a inteligência acadêmica, (que é adquirida por meio de estudos e qualificações educacionais) não pode ser o fator decisivo para determinar a inteligência de uma pessoa. Como vou mostrar mais abaixo, cada pessoa pode desenvolver uma ou mais inteligências diferentes. Todos temos inteligência, basta saber identificá-la e desenvolvê-la.

Gardner afirmou que o conceito de inteligência, como definido nos testes de QI, não era suficiente para avaliar qual o tipo de inteligência que uma pessoa possuiria. Isso explicaria porque uma pessoa, adulto ou criança, tem mais habilidade com números do que outra. Vale lembrar que essas habilidades podem ser tão acentuadas que uma pessoa pode sentir dificuldades de adaptar essas habilidades ao mundo onde vive.

Bem, esses pesquisadores utilizaram alguns critérios para classificar os fatores que constituem e diferenciam cada uma dessas inteligências, como: potencial prejuízo com dano cerebral, existência de indivíduos com capacidades especiais desenvolvidas ou prejudicadas, histórico de desenvolvimento das habilidades específicas, testabilidade e possibilidade de codificação em um sistema de símbolos.

Com base na análise desses aspectos, os pesquisadores identificaram sete tipos de inteligências e, posteriormente, acrescentaram outras duas. porém, uma delas ainda não é muito bem aceita. Vamos conhecer um pouquinho sobre elas?

inteligencia-logico-matematica

Inteligência Lógico-Matemática

O indivíduo com esta inteligência possui a capacidade de confrontar e avaliar objetos e abstrações, discernindo as suas relações e princípios subjacentes, além de demonstrar habilidade para raciocínio dedutivo e para solucionar problemas matemáticos. Cientistas possuem esta característica.

Números e raciocínio lógico agradam particularmente a quem possui essa inteligência desenvolvida. São pessoas caracterizadas pelo gosto e pela competência na resolução dos fatos, pelo cálculo, no raciocínio lógico e na busca de explicação para tudo. Sentem-se desafiadas perante situações que envolvam raciocínio lógico e tendem a resolvê-las de forma metódica e persistente. Adoram “quebra-cabeças” de qualquer tipo.

Existem várias atividades que podem ser utilizadas para o desenvolvimento dessa inteligência: puzzles, materiais manipulativos, categorização de fatos e de informação, analogias, pesquisas, experiências laboratoriais, mnemônicas (exercícios de memória), mapa de ideias, jogos (xadrez, Sudoku) etc. Existem algumas opções de games para PC, como: Torre de Hanoi, Math Games, Bingo, Sokoban, etc.

inteligencia-neuro-linguistica-399x288

Inteligência Linguística

Está relacionada ao uso da linguagem. As pessoas com esse tipo de inteligência têm uma sensibilidade muito grande ao sentindo da palavra e suas diferentes formas de manipulação. Manifestam gosto pela leitura e pela escrita. Comunicam-se bem, oralmente e por escrito. São eficazes nas ligações das ideias e, geralmente, pensam utilizando palavras. Parece que as palavras, nas mãos desse indivíduo, são como brinquedos que ele manipula sem a menor dificuldade de elaborar combinações.

Caracteriza-se por um domínio e gosto especial pelos idiomas e pelas palavras e por um desejo em os explorar. É predominante em poetas, escritores, e linguistas, e podemos até citar alguns nomes famosos como exemplo: T.S. Eliot, J. R. R. Tolkien, Fernando Pessoa, Machado de Assis e muitos outros.

A língua materna está presente em todas as matérias e também em todas as situações da vida cotidiana. É na família, que o contato entre a língua e a criança será maior, facilitando o aprendizado. Este indivíduo tem que ser moldado na escrita e no gosto pela leitura e, quanto mais incentivado, maior será a habilidade na escrita. Não podemos esquecer de um detalhe, que abordei no início: todos nascemos com uma ou mais dessas inteligências. Mas, se não forem trabalhadas, não se desenvolverão de maneira que o indivíduo possa usufruir ao máximo de suas habilidades.

Allan do Vale: “Observamos em algumas pessoas o interesse em aprender línguas através dos jogos de RPG de consoles, os quais incentivam muita leitura ou audição de diálogos dos personagens não jogadores, para que o jogador possa entender, receber uma missão e poder concluí-la da melhor forma possível.”

inteligencia-musical

Inteligência Musical

Identificável pela habilidade para compor e executar padrões musicais em termos de ritmo e timbre, mas também os escutando e discernindo-os. Pode estar associada a outras inteligências, como a linguística, espacial ou corporal-cinestésica. É predominante em compositores, maestros, músicos, críticos de música como por exemplo, Ludwig van Beethoven, Leonard Bernstein, John Coltrane, Wolfgang Amadeus Mozart, Maria Callas, entre outros.

Os adolescentes que possuem esse tipo de inteligência gostam de estar em contato constante com a música. Gostam de estudar com música, aprendem ritmos e canções mais facilmente e, hora ou outra, se surpreendem pensando em ritmos ou melodias conhecidas ou não. Frequentemente estão “cantarolando” alguma canção, ou “tamborilando os dedos na mesa simulando algum ritmo. Essa inteligência, muitas vezes, é inconsciente, pode ser aperfeiçoada, mas na maioria das vezes, precisa do incentivo dos pais ou de quem estiver ao redor da criança ou adolescente, pois sabemos que estes têm uma forte tendência a abandonar conquistas que exijam um certo “esforço” ou “persistência”. Um último detalhe: esta inteligência permite a facilidade de improvisação no meio artístico, geralmente com trabalhos musicais, quer seja de composição ou reprodução.

Allan do Vale: “Podemos ver o desenvolvimento desta inteligência em jogos eletrônicos como Guitar Hero e Rockband”.

SONY DSC

Inteligência Espacial

Expressa-se pela capacidade de compreender o mundo visual com precisão, permitindo transformar, modificar percepções e recriar experiências visuais até mesmo sem estímulos físicos. É predominante em arquitetos, artistas, escultores, cartógrafos, geógrafos, navegadores e jogadores de xadrez, como por exemplo Alexander von Humboldt, Michelangelo, Oscar Niemeyer, Marco Polo e muitos outros nomes.

O indivíduo com esta inteligência possui uma facilidade incrível de visualizar o mundo e os objetos presentes nele em 3D, alternando para 2D e vice-versa, de forma muito rápida e clara. Possui uma habilidade extraordinária de manipulação de formas e objetos mentalmente e, a partir daí, criar tensão, movimento e compor conjuntos em um determinado ambiente. Essa inteligência é detectada através do uso de quebra-cabeças, jogos e atenção à detalhes visuais. Pessoas com esta inteligência tem facilidade para criação, mas principalmente para artes gráficas, tendo como principais características a sensibilidade e a criatividade. Já reparou quando você entra em algum ambiente decorado por um designer de ambientes? Tudo parece estar perfeito, nos lugares certos, não é? É nesse tipo de atividade que esta inteligência é aplicada. E este é só um exemplo de atividades que utilizam essa inteligência.

Existem alguns games onde esta inteligência é trabalhada mas, são poucos. Jogos onde exista a manipulação de objetos virtuais, a representação de cenários e espaços de jogos em um ritmo acelerado de jogabilidade, tudo isso oferece um grande estímulo a esta inteligência. Podemos citar The Sims, Enter the Matrix e até mesmo Lego, em suas versões mais simples. E, claro, não posso deixar de citar o principal, Minecraft.

Bem, por hoje, vou ficando por aqui. Darei continuidade neste assunto, na próxima semana, no post Inteligências Múltiplas e os Games – Parte II. Fiquem atentos e até lá!

Se você gostou deste post não deixe de registrar sua participação através de sugestões, críticas e/ou dúvidas. Aproveitem para assinar o Blog e o canal do YouTube, acompanhar nossas publicações e ficar por dentro do Projeto Universo NERD, de sorteios, concursos e promoções!

Tags:
Paula Souza

É Editora e Autora do UniversoNERD.Net. Professora de Língua Portuguesa e Língua Inglesa, amante de leitura e Literatura, além de gamer nas horas vagas.

6 Comments

  1. Bom dia, muito interessante os assuntos abordados sobre definicoes de alguns tipos de inteligencia. Parabens pela criacao do blog.

      • Paula Souza
      • 25 de novembro de 2016

      Bom dia, Reginaldo! Obrigada pela participação! Fique ligado, em breve publicaremos a continuação!

  2. Muito bom! Adorei o tema. Muito bem explanado!

      • Paula Souza
      • 30 de novembro de 2016

      Oi, Cristhiano! Obrigada!!! Logo, logo, sairá Inteligências Múltiplas e os Games – Parte II! Bjs!

    • Meno
    • 1 de dezembro de 2016

    Parabéns muito interessante!

      • Paula Souza
      • 1 de dezembro de 2016

      Muito obrigada!!! Amanhã será publicado “Inteligências Múltiplas e os Games – Parte II!”. Abraços!

Postar um comentário