NEWS!

O Uso Incorreto De Unidades De Medida (Parte 2)

O Uso Incorreto De Unidades De Medida (Parte 2)

Retornando ao assunto com a parte 2 do post especial sobre “O Uso Incorreto De Unidades De Medida“, vamos agora abordar sobre as Incorreções Mais Frequentemente Encontradas quando o assunto se trata justamente de algumas das unidades de medidas mais conhecidas ou utilizadas.

A análise das incorreções pode ser abordada de diversas maneiras mas, provavelmente, o modo mais direto é o de se apontarem os erros que são encontrados com maior frequência, destacando que “ninguém erra pelo prazer de errar”. O leitor, certamente, concorda que, no mínimo, esses fatos existem por uma “falha de formação”, que provavelmente está ocorrendo desde que foi completado o ciclo básico e que se prolonga, comprovadamente, até mesmo no ensino superior de graduação e pós-graduação.

Assim, vamos tratar de alguns exemplos que bem enfocam o problema, para em seguida destacar as principais regras e a bibliografia disponível, encontrada na documentação das entidades normatizadoras, citadas na parte 1 (link no final deste texto) deste post especial sobre uso incorreto de unidades de medida.

Vamos começar com uma básica unidade de medida … o quilograma!

O uso do prefixo “quilo”, ou seja, 1.000, e que, como todo prefixo, “precisa ter associado a ele uma unidade de medida”, neste caso, quilograma. E com relação a esse prefixo, encontramos uma série de incorreções:

  1. A grafia desta palavra não é “kilo”, como se vê frequentemente, por exemplo, nos restaurantes, feiras, entre diversos outros lugares. Este fato é simplesmente “um erro de grafia da língua portuguesa”;
  2. O prefixo “quilo” vem, frequentemente, “sem uma unidade de medida” (como nos restaurantes, o “kilo” de comida), subentendendo-se tratar de peso ou de massa.
  3. A abreviatura ou o “símbolo” dessa grandeza e seu prefixo, escrito como sendo KG ou Kg, ambas formas estão erradas. O correto é escrever “kg”, com ambas letras minúsculas, segundo determinação do Inmetro. Portanto, prefixo e unidade, com letras minúsculas. Isto porque, o “K” maiúsculo é o símbolo da unidade kelvin, e o “M” maiúsculo identifica o prefixo mega. O exposto vem baseado nas seguintes regras contidas no Quadro de Unidades do Sistema Internacional de Unidades (SI):
  • A grafia dos símbolos dos “prefixos” deve obedecer ao SI, e a “unidade de medida”, não sendo derivada de nome próprio, tem seu símbolo escrito com letra minúscula.
  • Todo valor numérico vem seguido de uma unidade de medida, com ou sem prefixo, a menos dos casos em que estamos usando valores relativos (por exemplo o coeficiente de segurança, relacionado à tensão máxima envolvida em um material sob a ação de forças mecânicas), onde não temos uma unidade de medida e o valor é denominado de adimensional (sem unidade de medida).
  • Cada unidade de medida se reporta a uma grandeza, que vem definida na norma ISO 31.

Placa de um restaurante, informando comida “por kilo”. Identificamos quatro erros: a grafia da palavra “kilo” (o correto seria “quilograma”), o símbolo de grama (é apenas um “g” minúsculo), a ausência da moeda em que a comida é oferecida, e o horário, onde a abreviatura da unidade de tempo, a hora neste caso, é apenas um “h” minúsculo.

Outra bastante utilizada e conhecida … o metro!

Outra grandeza frequentemente usada é o “metro”, com ou sem prefixo (quilômetro, por exemplo). O seu símbolo é apenas um “m” minúsculo, estando “erradas” formas como M, MTS, MTs, e outras mais, ou ainda, no caso do quilômetro, formas como KM, Kmts, entre outras. Este erro se amplia quando do uso do símbolo da grandeza “velocidade”, redigida como sendo KM, KM/H, Km/H … etc, pois, aplicando a regra antes enunciada, o “h” de hora é minúsculo como também o “k” e o “m” desta unidade de medida.

Agora o exemplo de um luminoso na entrada de um túnel localizado numa grande cidade brasileira, onde aparece: “velocidade máxima”, e logo em seguida: “60 KM”. O erro está na velocidade dada em quilômetros (que não é unidade de velocidade e sim de distância), assim como o “quilo” com símbolo errado (deveria ser “k” minúsculo), o “metro” com símbolo de um M maiúsculo (deveria ser “m” minúsculo) e faltando a unidade de medida do tempo (neste caso a “hora”, ou seja, “h” minúsculo).

E o tempo cuja unidade no SI é … o segundo!

A unidade de tempo, o “segundo”, tem seu símbolo como sendo um “s”, simplesmente, e o “minuto” tendo o símbolo “min”. Portanto, está “errado” usar como símbolo do “segundo” a grafia “Seg.”, “seg.”, entre outras. Se assim, tivermos t =1 minuto, o seu símbolo será t = 1 min. Se, por outro lado, tivermos t = 10 minutos, o seu símbolo será t = 10 min, (e não 10 mins), pois abreviando como indicado no parênteses, o seu significado seria 10 minutos-segundos, o que evidentemente é um absurdo em termos científicos. Portanto, nova regra: Não existe plural do símbolo de uma unidade de medida. O símbolo é o mesmo no singular e no plural.

Um temporizador de contagem crescente contendo teclas com as unidades não condizentes com Inmetro e normas internacionais. A unidade do tempo em segundos é apenas “s” minúsculo.

Agora vamos falar de energia elétrica!

Na medição de energia, utiliza-se o “watt”, cuja grafia é feita com todas as letras minúsculas, com seu símbolo sendo o “W” maiúsculo, tendo como um dos seus múltiplos mais freqüentes, o quilowatt (kW). Forma alternativa que pode ser usada ainda, apesar de não pertencer ao Sistema SI, é o “cavalo vapor”, símbolo “cv” minúsculos, não se admitindo mais, (já há algum tempo), a unidade “horse power”. Acrescente-se ainda o quilovoltampére, ou, no símbolo, kVA (k minúsculo e VA maiúsculos).

Forma correta e errada se se escrever a unidade do termo “quilowatt-hora”.

Observação: O quilowatt-hora pode ser escrito, em termos de unidade como kWh ou kW.h, e é uma medida da energia elétrica consumida por um aparelho elétrico durante um determinado período de funcionamento.

Continuando mais um pouco na área da eletricidade …

Uma rápida referência aos “termos técnicos”, encontrados com suas definições nas respectivas normas técnicas ou no Vocabulário Internacional de Termos Básicos e Gerais de Metrologia, também publicado pelo Inmetro. Vou abordar a citação de alguns termos indevidamente utilizados em engenharia elétrica, apesar de haver exemplos em quaisquer outras áreas técnicas.

O termo “voltagem” e outros mais …

Esse termo, que designa a grandeza “tensão elétrica”, não existe na terminologia brasileira “e não pode ser usado”. O único termo admitido é “tensão elétrica”, medido em “volt” (todas letras minúsculas), símbolo U maiúsculo (e não V), medido em “volts” com todas as letras minúsculas (símbolo V maiúsculo).

Na mesma situação de “termos técnicos não admitidos” estão as palavras amperagem (usar corrente), wattagem (usar potência), conduit (usar eletroduto), tap (usar derivação), shunt (usar derivador), diagrama (usar esquema), e outros mais. Consulte a terminologia das normas, antes de se expor, ao empregar termos não existentes tecnicamente. Os casos de erros são muitos, o que nos leva a propor uma atenção especial sobre o assunto, pois, lamentavelmente, quem utiliza unidades de medida, termos técnicos e símbolos errados expõe claramente o seu desconhecimento do assunto.

Etiqueta informando, em português e em inglês, a tensão existente nas tomadas. Informação muito útil, porém, usando um termo “que não existe” na terminologia, e o símbolo da unidade de medida, o volt, deveria ser um “V “maiúsculo, e não minúsculo. Quanto ao termo, deveria ser “tensão 220 V ou tensão elétrica 220 V”. Também não informa se é corrente contínua ou alternada.

Este segundo post contém alguns exemplos sobre este importante assunto e faz parte de uma pequena série, composta de 3 posts, onde ainda serão abordados os principais motivos que estes erros mais comuns são cometidos. Em breve a parte 3, que será o final desta série!

_____________________________________________________

O “Uso Incorreto De Unidades De Medida” é uma série especial e dividida em 3 partes onde o autor aborda sobre as incorreções mais frequentemente encontradas quando o assunto se trata justamente de algumas das unidades de medidas mais conhecidas ou utilizadas. ESTE É O SEGUNDO TEXTO!

O PRIMEIRO pode ser acessado em: O Uso Incorreto De Unidades De Medida (Parte 1)

Se você gostou deste post não deixe de registrar sua participação através de sugestões, críticas e/ou dúvidas. Aproveitem para assinar o Blog e o canal do YouTube, acompanhar nossas publicações e ficar por dentro do Projeto Universo NERD, de sorteios, concursos e promoções!

Tags:
Reinaldo Vargas

É Idealizador e Autor do UniversoNERD.Net. Professor Universitário e gamer nas horas vagas. Sempre informado sobre ensino, ciência, tecnologia e games.