NEWS!

A Verdadeira História Do Marinheiro Popeye

A Verdadeira História Do Marinheiro Popeye

Olá, queridos leitores… Há um tempo atrás, prometi a vocês trazer a verdadeira história de um personagem icônico que todos nós conhecemos, tantos os mais velhos quanto os mais novos: o marinheiro Popeye.

Acredito que todos nós, em algum momento de nossa infância, passamos um tempo assistindo o marinheiro valentão, salvando sua amada Olívia Palito das mãos do brucutu Brutus, sempre acompanhado das trapalhadas de Dudu, Gugu e de Alice (que aparece muito pouco durante as temporadas).

Figura1 1 - A Verdadeira História Do Marinheiro Popeye

Da esquerda para a direita: Popeye, Olivia, Brutus, Dudu e Gugu.

Mas, o fato é que a verdadeira história desse velho lobo do mar, não tem nada de bonitinha. Sua inspiração foi em uma figura nada valentona e muito menos heroica.

Mas, antes de continuarmos, vamos conhecer o autor de Popeye

O cartunista Elzie Crisler Segar, nascido na cidade de Illinois, nos Estados Unidos da América (EUA), jamais pensou que seu personagem chamado de “Popeye” faria tanto sucesso. E realmente fez!

Os primeiros desenhos criados por Segar, foram baseados nos filmes de Charles Chaplin, os quais ele assistia enquanto trabalhava em um projetor de cinema. Até que um dia, o autor e ilustrador Richard Felton Outcault incentivou Segar a enviar seus desenhos para a imprensa. Em 1916, teve suas primeiras tiras sobre Chaplin publicadas em um jornal de Chicago. Em 1918, passou a se apresentar no Chicago Evening American, um jornal vespertino. Após isso, foi convidado a fazer parte da série “Timble Theatre”, do New York Journal.

Em 1929, finalmente nascia o marinheiro, como um personagem secundário nessa tira (ver imagem abaixo). Mas, o que era para ser apenas mais um personagem, logo tomou conta do centro das atenções, tornando-se um dos personagens de quadrinhos e animação mais famoso de todos os tempos.

Figura2 1 - A Verdadeira História Do Marinheiro Popeye

Infelizmente, não encontrei nenhuma tira em português, mas acredito que não haverá dificuldades de compreensão.

Todos nós, eu acredito, víamos o marinheiro como um herói, valentão, sempre salvando sua amada donzela do perigo. Mas, na verdade, não é nada disso.

O criador de Popeye, Elzie Segar, era um cara maluco, que vivia chapado dia e noite. No ano de criação do personagem (1929) ainda não tinha maconha nos EUA, então, ele viajava com ópio, morfina e outras drogas.

Um dia, sentado na zona portuária, encontrou-se com um amigo recém chegado de viagem, FrankRockyFiegel, mais propriamente da Europa, trazendo alguns potes de “canabis”. Esse amigo, fumava cachimbo e apresentava um defeito em um dos olhos, tinha os braços e mãos disformes e a boca torta. Além disso, mentia muito. Sacaram? Em homenagem a esse amigo, Segar inventou uma história em quadrinhos onde o personagem fumava latas e latas da “canabis” em um cachimbo e desenvolvia força e disposição descomunal.

E para quem não associou, o nome Popeye foi uma junção de “pop” (estourar) e “eye” (olho)!

Figura3 1 - A Verdadeira História Do Marinheiro Popeye

Frank Fiegel (esquerda), homem que inspirou a criação de Popeye (direita).

O teor das histórias

As primeiras histórias de Popeye eram, digamos, nada apropriadas para crianças. Em um episódio, “Blow me Down“, o marinheiro valentão já chega brigando com todo mundo e, ao que tudo indica, está o tempo inteiro chapado. Separei um vídeo, do canal “8thManDVD.com™ Cartoon Channel” no YouTube. Para acionar as legendas automáticas, clique em “Detalhes” (engrenagem), depois em “Legendas/CC”, em “Traduzir automaticamente” e, por fim, selecione “Português”.

x

Um outro ponto que pude perceber nesse vídeo é a maneira como Olívia Palito é introduzida. A personagem é dez anos mais velha que Popeye. Antes, ela e sua família eram os personagens principais. Após a aparição do marinheiro, ela passou a ser secundária. Segundo alguns críticos, ela era uma personagem masoquista e que tinha alguns fetiches, um deles era a de ter por perto a figura de um homem grande e barbudo, que fosse violento com ela, como Brutus. Por outro lado, ela se intitulava namorada de Popeye, por isso gritava por socorro toda vez que ele se aproximava e a via com Brutus, assim sua atitude não era vista como traição.

Mas, como a crítica não perdoa, há quem diga que a personagem era aventureira e gostava da vida que levava com o marinheiro, regada à bebida e muita maconha.

E além disso,

Esse seria um dos motivos que explicam sua aparência extremamente magra e seus papéis interpretados, como o da dançarina no vídeo acima.

Em um segundo episódio, “Wild Elephinks“, o marinheiro aparece matando vários animais em uma ilha perdida, claro que fazendo uma alusão às “viagens” malucas de sua mente. O mais interessante é que, ao escrever este artigo, não passou pela minha cabeça escrever sobre parodias, mas eis que me deparei com uma paródia aos filmes de King Kong, com Olívia Palito como a mocinha indefesa, é claro. Viram? As paródias estão presentes em todos os lugares rs. O vídeo que separei abaixo é do canal MovieCon Animatione não contém legendas, mas não prejudicará em nada a compreensão do leitor.

 x

Com o passar do tempo e o aumento da popularidade do marinheiro, algumas crianças passaram a se interessar pelo personagem. No intuito de fantasiar um pouco a história, a maconha foi substituída pelo espinafre, mas curiosamente, algumas vezes em que Popeye jogava o espinafre, ele caia diretamente em seu cachimbo. Há quem diga que, inclusive a “larica” que Popeye apresentava em alguns desenhos, era saciada pelas tortas que Olivia fazia, com um ingrediente muito “secreto”.

FIgura4 - A Verdadeira História Do Marinheiro Popeye

Na época e na verdade durante muito tempo, o espinafre virou sinônimo de vida saudável e as crianças aumentaram muito o seu consumo. Em alguns lugares, o produto passou a ficar em falta, por conta do aumento da demanda. Aqui no Brasil, não é comum comermos espinafre em lata hoje, como não era naquela época. Mesmo assim, as crianças daqui passaram a apreciar a novidade.

Se vocês repararem bem, nos primeiros desenhos, o marinheiro tira da lata um mato seco, representando o espinafre e fazendo alusão à maconha. Até algumas frases “filosóficas” de Popeye, somente eram ditas após alguns tragos de seu cachimbo, como: “Sou o que sou, e isso é tudo que sou!” ou “Pelas barbas do camarão…”

Mas algumas perguntas pairam no ar e ninguém consegue responder até hoje:

  • Na maioria dos episódios, Olívia maltrata, trai e bate no marinheiro. Ainda assim, apesar de não ter nenhum atrativo físico e dos maus modos, porque Popeye insiste na paixão pela personagem?
  • Brutus, na maioria das vezes, começa os desenhos como grande amigo de Popeye e no meio do capítulo vira seu inimigo, trai e o ofende. Então, por que Popeye não o risca de sua lista de amigos?
  • As deformidades que ele apresenta nos braços seriam tumores?

Existe uma outra versão, contada por alguns historiadores, que em 1933 o Texas, maior produtor de espinafre, teve uma supersafra da verdura e sem mercado para vender a folhagem. Os empresários do agronegócio na época, convenceram Segar a fazer o marinheiro, que até então estava fazendo muito sucesso, adquirir uma super força ao consumir espinafre. Dessa forma, as vendas alavancariam.

Mas, é só uma especulação e ninguém sabe, realmente, se esse fato procede ou se foi uma coincidência.

Alguns fatos curiosos:

  • O espinafre não dava apenas “superforça”. Ele também se tornava um excelente dançarino;
  • A marca de espinafre Popeye é a segunda maior marca de espinafre da América;
  • Muitos desenhos do Popeye foram ofensivos racialmente com relação aos japoneses e afro-americanos. Tanto que muitos desses episódios tem partes cortadas, proibidas de serem exibidas.

Este ano, o personagem fez 85 anos e continua vivo como nunca nas telinhas ou na preferência de algumas pessoas. Ah, e claro, continua apaixonado pela Olívia Palito, seu grande amor. Com o passar dos anos, a origem do personagem louco, psicopata e doente foi esquecida e ele acabou virando um símbolo de herói, na verdade, um predecessor dos grandes heróis. E você, leitor, o que acha?

Até a próxima!

_________________________________________________

Se você gostou deste post, não deixe de participar através de sugestões, críticas e/ou dúvidas. Aproveitem para assinar o Blog, curtir a Página no Facebook, interagir no Grupo do Facebook, além de acompanhar publicações e ficar por dentro do Projeto Universo NERD, de sorteios, concursos e demais promoções.

< x >

Tags:
Paula Souza

É Editora e Autora do UniversoNERD.Net. Data Quality Specialist e Editora da empresa Bare Internacional, Professora de Língua Portuguesa e Inglesa, amante de leitura e Literatura, além de gamer nas horas vagas.